Seguir por email

domingo, 28 de fevereiro de 2016

"Uma Fada no Carnaval" por Maria Pires (7)

Uma Fada no Carnaval

  • Mas primeiro tenho de saber o teu nome e se não me vais roubar a varinha.
  • Chamo-me Ricardo. Só quero que me emprestes a tua varinha por uns momentos e prometo que ta dou a seguir de eu fazer de pescador.

Fafá era uma fada muito esperta, sabia sempre se estavam a mentir ou não. Tinha um truque infalível: se as pessoas estivessem a rir, era porque estavam a mentir, se tivessem a cara normal, era porque não. Então, Fafá pensou para si própria: “Será que ele está a mentir, pois o seu sorriso deixa-me na dúvida! Eu tenho de arriscar para confirmar se o meu truque bate sempre certo”.

Lá foi o rapaz todo contente para poder fazer de conta que estava a pescar muitos peixes no lago. A fada observava-o para verificar se ele não fugia com a varinha.

Passado algum tempo, Fafá já estava a ficar nervosa, quando de repente, o rapaz se aproximou dela e disse muito gentilmente:
  • Toma a varinha, e obrigado por ma emprestares, pois sem ela o meu Carnaval não teria sido tão divertido e especial como foi!

Fafá ficou espantada com a atitude do Ricardo. Foi assim que Fafá ficou a perceber que nem sempre o seu truque infalível resultava. Afinal, o sorriso do Ricardo não era sinal de mentira, mas sim de felicidade.

Os dois ficaram amigos para sempre e Fafá decidiu que já não ia voltar para a Floresta dos Encantos, pois sentia-se muito feliz ali.

A fada aprendeu uma lição: às vezes o que parece verdade pode ser uma ilusão!

por Maria Pires (7)